segunda-feira, 18 de abril de 2011

Doença de Chagas na Alimentação

Há na literatura científica diversos trabalhos experimentais que demonstram a sobrevivência do Trypanosoma cruzi (protozoário causador da doença de Chagas) em alimentos, inclusive na polpa de açaí congelada não pasteurizada (isto é, não submetida a tratamento térmico).

Entretanto, o problema não se restringe ao açaí especificamente; basta lembrar o surto de doença de Chagas ocorrido em 2005 devido à ingestão de caldo de cana contaminado.

A chamada transmissão oral da doença de Chagas é hoje uma preocupação e, em teoria, para que ocorra, basta que as fezes contaminadas do inseto transmissor do protozoário (Triatoma infestans, popularmente conhecido como ‘barbeiro’) entrem em contato com os alimentos. Se isso acontecer, caso o alimento não seja adequadamente processado, ele será o veículo do T. cruzi.

Na Venezuela há registro de transmissão da doença de Chagas pela ingestão de suco de goiaba in natura. Assim, é essencial que os alimentos – em especial frutas, legumes e verduras – que não serão submetidos a processo de cozimento sejam bem lavados e higienizados.

É importante lembrar também que a contaminação dos alimentos só acontecerá em áreas de ocorrência dos insetos contaminados pelo T. cruzi, como é o caso da Amazônia, onde o açaí é produzido.

Karen Signori Pereira
Centro de Tecnologia, Escola Centro de Tecnologia, Escola de Química
Universidade Federal do Rio de Janeiro